Interpretações Duvidosas – Hebreus 6 (2/2)

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Hebreus 6.4-8

Vimos anteriormente que um dos objetivos do autor era mostrar que não há salvação longe de Cristo e que essa salvação, uma vez recebida, não pode ser perdida, pois a salvação depende exclusivamente de Jesus Cristo.

Apesar disso, o capítulo 6 da mesma carta parece dizer algo contrário. Por isso, nesse momento iremos estudar específicamente Hebreus 6.4-8. Ao analisarmos os versículos de 4 a 8, constatamos que as palavras “experimentaram ou provaram” e “terra”, foram as que mais se repetiram. Cada uma repetiu duas vezes, e o termo “Deus” três no total. Isso nos mostra que o assunto levantado aqui gira em torno dessas palavras. Uma vez que esse trecho não é tão simples de ser entendido, analisaremos por partes.

Primeiro, o próprio escritor aos Hebreus orienta que nos “tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim” (Hb 3.14; grifo nosso). Observando o texto com cuidado, fica a pergunta: as pessoas mencionadas em Hb 6.4-8 tinham permanecido até o fim ou tinham caído?

De acordo com reverendo Moisés Cavalcanti BEZERILL[2], a palavra grega em Hb 6.6 para queda1 (PARAPTÔMA), pode muito bem referir-se à:

1 – “Ofensas comuns” do dia a dia de um cristão (Mt 6.14; Mc 11.25; Gl 6.1) ou

2 – Ao estado de morte espiritual e condenação eterna, no qual se encontram todos aqueles que ainda não foram vivificados e ressuscitados por Deus em Cristo Jesus (Rm 4.25;5.15-18,20;11.11; 2Co 5.19; Ef 1.7;2.1,5; Cl 2.13).

1O verbo cair no original em Gl 5.4 (está no sentido figurado) é diferente de Hb 6.6 (está no sentido literal)

Dessas duas opções, a segunda parece ser a mais provável pois todos os pecados comuns tem perdão, mas o texto em estudo fala de algo que não tem restauração. O próprio Cristo disse de si mesmo, “quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus ” (João 3:18). Assim como em Gálatas, essas “pessoas que caíram” estavam acreditando que poderiam ser salvas pelo cumprimento da Lei e por isso estavam voltando para o judaísmo e negando o evangelho.

Segundo, quem não confia somente em Cristo para salvação, mesmo que viva anos em uma igreja nunca será salvo enquanto não crer “no nome do unigênito Filho de Deus”. Crer dessa forma, significa crer e depender somente de Cristo para a salvação. É acreditar totalmente no Filho de Deus, obedecendo-o e confiando que Ele é capaz de garantir a sua salvação até o fim. Mas, não foi isso que aconteceu com essas pessoas que abandonaram o evangelho (“caíram”, cometeram apostasia [4]), elas não eram de fato convertidas apesar de terem vivido; presenciado os milagres de Deus, o dia a dia da igreja; e abençoados juntamente com os eleitos de Deus. Como disse o apóstolo João certa vez: “Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós” (1 Jo 2.19; grifo nosso).

É nesse sentido que tais pessoas foram iluminadas (esclarecidas, foi lançado luz sobre algo [5]). Tornaram-se participantes (bem diferente de “terem recebido o Espírito”) do Espírito Santo e provaram o dom celestial: Elas conheceram e entenderam intelectualmente o plano da salvação. Participaram das bençãos da igreja. Vivam como cristãos aceitando a idéia de Cristo como Salvador e provavelmente foram batizadas. Fizeram confissão de fé, talvez tivessem pregado o evangelho. Presenciaram milagres, receberam ou realizaram algum em nome de Jesus e até foram batizadas. Também experimentaram a bondade da palavra de Deus. No entanto, como acontece hoje em dia, eram cristãos nominais. Não eram convertidas. Acreditavam apenas que o evangelho seria algo melhor, mas não poder para salvação.

Era para essas pessoas que o autor de Hebreus estava falando. Elas não permaneceram em Cristo até o fim, negaram a Cristo. Por tanto, podemos resumir Hebreus 6 do versículo 4 ao 5 da seguinte forma:

Hebreus 6.4-5

Pergunta

Resposta

“provaram o dom celestial” e “experimentaram a bondade da palavra de Deus

Um não salvo pode provar das bênçãos de Deus distribuídas na igreja? Mateus 7.22-23; Hebreus 10.26-27

SIM

tornaram-se participantes do Espírito Santo

Um não salvo pode viver como se fosse cristão e negar o Evangelho um dia? Hebreus 3.14

SIM

 

Terceiro, a palavra “terra” nos versículos 7 e 8 muito tem a nos dizer, mas parece que não é levada em consideração por alguns. Certa vez o próprio Senhor explicou utilizando a mesma palavra [6] “terra” como simbologia de “coração” na parábola do semeador em Mateus 13.19-23:

Versículo

Texto

Resultado

19

“alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende

Não entende: “O Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração”

20 a 21

 

“ouve a palavra e logo a recebe com alegria.”

Permanece pouco tempo no evangelho: “Todavia, visto que não tem raiz em si mesmo, permanece por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandona.”

22

“ouve a palavra, mas …

Não produz frutos: “mas a preocupação desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera.”

23

“o que foi semeado em boa terra: este é aquele que ouve a palavra e a entende”

Permanece até o fim: “dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um”

 

Agora vejamos o que diz Hebreus 6.7-8 logo após o autor dizer que é “impossível que tais pessoas” (que não permaneceram até o fim crendo em Cristo, apesar de tudo que viveram e ) sejam reconduzidas ao arrependimento:

Versículo

Texto

Resultado

7

Terra[boa] que absorve a chuva, que cai freqüentemente e dá colheita proveitosa àqueles que a cultivam”

Permanece até o fim: Recebe todas as bênçãos de Deus (incluindo a salvação).

8

 

Terra [inútil] que produz espinhos e ervas daninhas, é inútil e logo será amaldiçoada.”

Não permanece até o fim: Seu fim é ser queimado, experimenta algumas bençãos e de jeito nenhum receberam a principal: a salvação.

 

Presume-se que o autor estava se referindo à “terra inútil” quando disse ser “impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento; pois para si mesmos estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública”. Depois de todo conhecimento e experiência, a pessoa decide voltar para os pecados anteriores, isso faz com que seu coração seja endurecido e impossibilite o arrependimento.

Com relação a palavra reconduzido (NVI) ou renovado (ACF), no grego significa “voltar ao estado anterior” [2], neste caso, de arrependimento. Pois, quem está em Cristo tem uma vida de arrependimento, isto é, quando um salvo peca, ao ser confrontado com a Palavra e pelo Espírito Santo ele é levado ao arrependimento. Pessoas que apostatam da fé nunca mais desejarão voltar para a igreja e nem mesmo acreditarão mais na Palavra de Deus.

Segundo o pastor McArthur, “a prova clara de que a pessoa insultou o Espírito da graça é a perda de toda a sua capacidade de desejar arrependimento e restauração” [3]. Ou seja, tal pessoa deseja continuar rejeitando o Espírito Santo e negando a Cristo. A blasfêmia contra o Espírito Santo consiste nisto.

Em Mt 12, por causa da incredulidade chegaram a afirmar que o Espírito Santo era Satanás ao dizerem que as obras do Espírito eram de Satanás. Mesmo que eles tenham conhecido as Escrituras, presenciado os milagres operados por Cristo, eles resistiram ao Espírito Santo e negaram a Cristo. Esse é o mesmo pecado que leva à morte mencionado em 1Jo 5.16-17:

“Se alguém vir seu irmão cometer pecado que não leva à morte, ore, e Deus lhe dará vida. Refiro-me àqueles cujo pecado não leva à morte. Há pecado que leva à morte; não estou dizendo que se deva orar por este. Toda injustiça é pecado, mas há pecado que não leva à morte.” (grifo nosso)

Como os eleitos foram predestinados para salvação mediante Jesus (Ef 1.4-6), então eles não podem ou jamais conseguirão blasfemar contra o Espírito Santo. O eleito depois de salvo, mesmo que venha a se desviar da fé, contudo não perde completamente a capacidade de se arrepender e de um dia voltar a casa do Senhor, para os braços do pai.

Aplicação do Estudo

Caso você, leitor, desviou-se do evangelho mas deseja voltar, então você não blasfemou contra o Espírito Santo. Volte agora para os caminhos do Senhor. Pois está escrito:

Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre” (Jo 7.37-38; grifo nosso)

e

todo o que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei”. (Jo 6.37; grifo nosso)



NOTA:

[1] MARSHALL, I. Howard. Teologia do Novo Testamento. São Paulo: Ed Vida Nova, 2007;

[2] BEZERRIL, Rev. Moisés Cavalcanti. Artigo A queda dos Iluminados de Hebreus 6:4-6 Calvino e Matthew Poole. Acessado em 22/11/2013. Link http://www.monergismo.com/textos/perseveranca/iluminados_Bezerril.pdf

[3] MACARTHUR, John. Salvos sem sombra de dúvidas. São Paulo: Ed Palavra, 2011. Pág: 33;

[4] DANKER, Frederick W. & GINGRICH, F. Wilbur. Léxico do Novo Testamento. São Paulo: Ed Vida nova, 2012. Pág: 157;

[5] DANKER, Frederick W. & GINGRICH, F. Wilbur. Léxico do Novo Testamento. São Paulo: Ed Vida nova, 2012. Pág: 221;

[6] DANKER, Frederick W. & GINGRICH, F. Wilbur. Léxico do Novo Testamento. São Paulo: Ed Vida nova, 2012. Pág: 47;

[NVI] – Tradução Bíblica na Nova Linguagem Internacional;

[ACF] – Tradução Bíblica Almeida Corrigida Fiel.

Related Post

Comentários