Como você encara seu casamento?

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someonePrint this page

O ano de 2016, até agora, reservou muitas surpresas. A mais recente foi a notícia da separação do casal Angelina Jolie e Brad Pitt! Um casal querido por muitos e conhecido por praticar inúmeras ações sociais. Realmente a notícia trouxe muita tristeza e falta de esperança para muitos, o divórcio faz isso… Mas o que mais me chamou atenção foi um clima de desesperança no ar! Percebi em algumas pessoas e notícias a ideia de que eles tinham “tudo” para serem felizes para sempre, e por isso estava difícil de aceitar o que aconteceu. Tipo, se esse casal não durou, então, realmente casamento hoje é algo bem difícil de ser para “sempre”

Não vamos discutir aqui sobre o divórcio, mas a idéia popular de ver a vida de casais  bem sucedidos como modelo de casamento. Fico muito pensativo sobre isso.  Já que a forma como encaramos o casamento dependerá do modelo que acreditamos ser ideal. Não é errado admirarmos pessoas, aparentemente, bem casadas. Mas, elas nunca conseguirão ser uma referência perfeita. Nenhum de nós é capaz. Todos somos falhos, pecadores. Erramos e decepcionamos os outros, por “melhor” que sejamos. Como está escrito: “se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos…” (1 Jo 1.8). Então precisamos, antes de qualquer coisa, de um modelo de relacionamento mais excelente para nos direcionar melhor no casamento. Na Bíblia, existe uma alternativa.

No Evangelho de João (Jo 3.16) nos é revelado que Deus não mediu esforços para nos resgatar para perto dele. Ele escolheu nos amar de tal maneira ao ponto de enviar seu único filho, Jesus, para morrer em nosso lugar e assim podermos ficar eternamente ao lado de Deus pela fé em Cristo! Nada e ninguém poderá nos separar de Deus!! O apóstolo Paulo enfatizou isso: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?” (Rm 8.35).

Escolhas também são necessárias dentro do casamento. Por exemplo, escolher deixar “amigo(as)” que estão prejudicando seu casamento. Rejeite conselhos que contribuem para brigas, desconfiança e divórcios. Não se espante se eles te insultarem por você escolher viver um casamento segundo os princípios de Deus. Não tema nem se preocupe. Tais pessoas merecem ser ignoradas. Deus sabe melhor do que ninguém suas necessidades. Tenha sempre a consciência limpa. Assim, quando você for insultado, os que falarem mal da sua boa conduta como seguidor de Cristo ficarão envergonhados. Porque é melhor sofrer por fazer o bem, se for esta a vontade de Deus, do que por fazer o mal (1Pe 3.17).

Em outro momento, encontramos a informação de que Deus Pai decidiu renunciar a presença de seu filho Jesus, por um tempo, para pagar nossos pecados e nos salvar. No dia da crucificação “por volta das três horas da tarde, Jesus bradou em alta voz (…) Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?” (Mt 27.46). Jesus, por sua vez, renunciou sua glória por amor a nós, e morreu na cruz! “Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar que Cristo Jesus tinha: Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. Pelo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano, ele foi humilde e obedeceu a Deus até a morte — morte de cruz” (Fp 2.5-8).

No casamento duas culturas distintas transformam-se em uma terceira, mudanças acontecem. Inclusive várias renúncias, de ambos os lados. O amor que transforma é sacrificial, e por isso exige renúncias. Se você não tiver disposto a mudar para fazer seu cônjuge feliz, então grandes dificuldades vocês terão. É necessário aprender a compartilhar tudo inclusive o dinheiro;  pensar mais um no outro; ajudar a esposa nos deveres domésticos e na educação dos filhos;  querer ser feliz independe da felicidade do outro; diminuir a frequência de jogar bola com os amigos e deixar a mulher sozinha em casa; abandonar o hábito de reduzir esposo/esposa e tirar sua autoridade em casa; deixar de comparar sua esposa com as pornografias que você alimenta; não agredir verbalmente/fisicamente o outro;  sair mais para curtir um ao outro; etc. Mudar é difícil, mas em Cristo tudo é possível!

Não estou dizendo que as orientações bíblicas impedirão o divórcio. Mas, mostrando um caminho mais excelente para lutar pelo sucesso do seu casamento. A Palavra de Deus acompanhada de fé é fonte de consolo, paz e perseverança. Isso poderá tornar seu casamento mais seguro e portanto duradouro. Faça o mesmo que Jesus fez por você. Assim como ele deu a vida por você, faça o mesmo pelo seu cônjuge: ame sacrificialmente. Escolha abrir mão de tudo que pode te separar do seu amor! Lute o quanto puder. Nunca deixe Jesus de fora do seu casamento. Lembre-se, num relacionamento uma pessoa sozinha pode ser vencida, mas dois conseguem defender-se. No entanto, um cordão de três dobras não se rompe com facilidade (Ec 4.12). Com Cristo o casamento torna-se mais forte.

Em Cristo e com amor,

Paulo Corrêa

Related Post

Comentários