A benção de ser coadjuvante!!!

A benção de ser coadjuvante!!!

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someonePrint this page

“…Em Damasco havia um discípulo chamado Ananias… ” Atos 9.10

O brasileiro é reconhecidamente muito criativo. Por isso já ganhou vários prêmios internacionais de propaganda. Cito aqui uma bem divertida. De uma perspectiva inusitada, um filmete recente mostra jogadores de futebol, com destaque para um “perna de pau”, cujo principal objetivo não era marcar gols, mas sim encontrar os amigos e se divertir com eles.

Com os cristãos também acontece algo parecido. O que conta é o relacionamento. O principal objetivo não é impressionar as pessoas pelo seu conhecimento ou habilidades. O reconhecimento não é importante. A essência do cristianismo é conquistar as pessoas para o Reino de Cristo através do amor, doação e entrega.

Continuando a leitura reflexiva do capítulo 9 de Atos, vamos encontrar um exemplo dessa essência. Seu nome? Ananias.

Vamos relembrar: Saulo de Tarso estava perseguindo a Igreja, seguia para Damasco, quando de repente enxergou uma luz resplandecente que o cegou. A voz que ele ouviu se apresentou como o Cristo a quem ele perseguia e ordenou:  “ … levante-se, entre na cidade; alguém lhe dirá o que você deve fazer” (At 9.4-6).

Paulo foi levado até Damasco, e por três dias ele esteve cego, não comeu nem bebeu (Atos 9.9). Nesse momento, Lucas introduz um coadjuvante fundamental para a história do cristianismo:  Em Damasco havia um discípulo chamado Ananias. O Senhor o chamou numa visão: Ananias!….Eis-me aqui, Senhor, respondeu ele (At 9.10).

Cristo deu a Ananias uma missão: orar por Saulo de Tarso, o grande perseguidor dos cristãos. Ananias “tenta” atualizar Jesus, passando as últimas informações sobre Saulo. Por um momento, parece ter se esquecido da onisciência de Jesus!

Em seu comentário do livro de Atos Simon J. Kistemaker comentou: “ Ananias se opõe à ordem divina de visitar Paulo. A história da redenção nos ensina que outros santos do Antigo e do Novo Testamentos receberam ordens e que eles também tornaram conhecidas de Deus as suas objeções. Lembremo-nos de Moisés, chamado por Deus para que fosse à corte de Faraó no Egito (Êx 3); de Jonas, instruído a pregar o arrependimento aos habitantes de Nínive (Jn 1); e de Zacarias, a quem foi revelado que sua esposa Isabel conceberia um filho (Lc 1).”

Cristo ordena Ananias, dando-lhe detalhes do seu plano para Saulo: …o Senhor disse a Ananias: “Vá! Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante o povo de Israel. Mostrarei a ele o quanto deve sofrer pelo meu nome” (At 9.13-16).

Novamente, Simon J. Kistemaker comenta: “Jesus remove toda dúvida da mente de Ananias e o instruiu a ir ter com Paulo. Ele disse: “Ele é o meu instrumento escolhido.” Por cinco razões, Paulo é a pessoa escolhida para a tarefa que Jesus lhe deu: é judeu inteiramente instruído nas Escrituras do Antigo Testamento por Gamaliel em Jerusalém; foi criado num ambiente de fala grega; está familiarizado com a cultura helenista; sabe como interpretar o evangelho em termos que o mundo helênico possa compreender; e é um cidadão romano ciente de que o vasto complexo de estradas no império romano facilita as viagens, de modo que o evangelho pode alcançar os confins da terra.”

Duas observações surgem aqui. A primeira é a semelhança do chamado de Ananias com o de Samuel (1 Sm 3.1-21). O Senhor chamou Samuel pelo nome e deu-lhe ordens específicas sobre alguém, naquele caso foi sobre o sacerdote Eli. Nesse, falou sobre Saulo. Comparando, você percebe a realidade da afirmação de Cristo: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30).

A segunda é o diálogo de Ananias com Deus. Surpreendente! Parece até que acontecia todo dia! Possivelmente, Ananias era alguém que mantinha uma comunhão estreita com o Todo-Poderoso.

A caminhada da sua casa até a Rua Direita, deve ter sido uma das mais árduas da sua vida. Finalmente ele iria conhecer o homem que todos os cristãos temiam.

Ao chegar, porém, Ananias deve ter visto não um algoz, mas alguém fragilizado e carente. Suas palavras são lindas e cheias de amor: “Irmão Saulo…”  Esse é um dos momentos mais emocionantes e dramáticos de toda a Bíblia. Alguém que era “perseguido” chamando de irmão o seu perseguidor. Só Jesus Cristo pode fazer isso!

Ele então conforta Paulo, explicando-lhe que sua missão não era de julgamento ou condenação, mas sim de cura em todos os sentidos: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que lhe apareceu no caminho por onde você vinha, enviou-me para que você volte a ver e seja cheio do Espírito Santo” (At 9.17).

As orações de ambos foram respondidas. Ananias provavelmente pediu que o Senhor o livrasse das mãos de Saulo de Tarso; Paulo deve ter pedido para que Jesus Cristo mandasse logo o seu mensageiro, a fim de ser curado.

“Imediatamente, algo como escamas caiu dos olhos de Saulo e ele passou a ver novamente. Levantando-se, foi batizado” (At 9.18). O Evangelho é fantástico!!!

Veja que Cristo se encarregou de tudo. Apareceu para Saulo no caminho de Damasco, avisou-o sobre Ananias e falou também com Ananias sobre Saulo. Nossa salvação pertence a Deus. O Eterno sabe o momento certo de confrontar, convencer e trazer para Si aqueles que lhe pertencem.

Cabe a nós se espelhar no exemplo de Ananias. Sempre pronto! Temos dúvidas, medos, angústias? Apresentemos ao Senhor, assim como ele fez. E depois? Façamos! Cumpramos a vontade divina!

Sabemos que Deus não muda, por isso essa passagem bíblica nos traz esperança. Muitos que perseguem ou até mesmo odeiam os cristãos cairão por terra arrependidos. Vários que acreditam não precisar de Jesus, saberão um dia que Ele é o Senhor.

Muitos que parecem não ter mais jeito, derrotados talvez pelos vícios, divórcios, doenças, dívidas, etc, encontrarão em Cristo o que mais necessitam: salvação e esperança. Quem sabe até a cura, como aconteceu com  Saulo.     

A salvação de Saulo traz uma certeza: se ele foi salvo, qualquer um pode ser.  Basta Deus agir.

Se Ananias foi o instrumento usado por Deus para esse fim, nós também podemos ser. Termos o privilégio de ajudar as pessoas a irem a Cristo, não tem preço! Melhor ainda é sermos instrumentos de Deus para salvar pessoas que podem marcar nossa geração através da pregação do evangelho como o apóstolo Paulo fez!

Acredite!  Pense nisso!!!

Até a próxima!!!   Deus o abençoe!!!

                                                                                                              

Elias Silvio

Notas

  1. J. Williams, David. Atos, Novo Comentário Bíblico Contemporâneo. São Paulo: Editora Vida, 1985.
  1. H. Gundry Robert. Panorama do Novo Testamento. São Paulo: Edições Vida Nova, 1978.
  1. Craig S. Keener. Comentário Bíblico Atos, Novo Testamento. São Paulo: Editora Atos, 2004.
  1. Stott, John R. W. A mensagem de Atos. Até os confins da terra. São Paulo: ABU Editora S /C, 1990.
  1. Kistemaker, Simon J. Comentário do Novo Testamento – Exposição de Atos dos Apóstolos. Editora Cultura Cristã, 2003.

Related Post

Comentários