Ultimo Apóstolo (I)

posted in: Apologética | 0
  • Ser do sexo masculino (At 1.21-23); 
  • Ter vivido no período compreendido entre o dia em que Jesus foi batizado por João Batista (Mc 1.9) até o dia em que Jesus subiu aos céus (At 1.1-9);
  • Ter visto ao Senhor Jesus Cristo na forma humana ou depois da ressurreição. (1Co 9.1; 1Co 15.6-8);
  • Manifestar com toda a paciência para qualquer pessoa, sinais, prodígios e maravilhas. (2Co 12.12).

  
 

O Apóstolo Paulo com clareza disse (1Co 15.6-8): 

  • Jesus foi visto por Cefas, e depois pelos doze.

  • Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.

  • Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.

  • E por derradeiro (por último) de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo.

   

Como diria o pregador e estudioso das escrituras, M. Lloyd Jones:

Portanto, a expressão “depois de todos” – significa depois de todos os apóstolos. Mas ele não foi apenas o último dos apóstolos; ele foi literalmente a ÚLTIMA PESSOA, a ÚLTIMA DE TODAS, a ver o Senhor redivivo. Ninguém mais viu a olhos nus o Senhor ressuscitado desde que o apóstolo Paulo O viu no caminho de Damasco… ele foi, deveras, o ÚLTIMO DE TODOS…” (citação tirada do site http://www.josemarbessa.com/).

 

Portanto amados, hoje em dia não existe mais apóstolo. Fiquemos em alerta e em oração para não sermos enganados pelos falsos mestres!

 

A Responsabildiade do Teólogo …

posted in: Apologética | 0


DISCURSO COLAÇÃO DE GRAU TURMA DRª VALÉRIA FERNANDES

Brasília – DF, 18 de Março de 2011

 


Caros mestres, companheiros na busca por uma verdade menos imperfeita; amados colegas, participantes de um ideal e experiência comuns em sua essência aos quais devo a honra e elevado privilegio de ocupar este espaço. Queridas esposas, filhos, filhas, pais, parentes aqui representados, amigos e amigas, co-participantes de nossa vitória. Senhoras, senhores, irmãos e irmãs, Boa noite! “Eu sinto um verdadeiro espanto no meu coração, em constatar que o evangelho já mudou, quem ontem era servo agora acha-se Senhor e diz a Deus, como ele tem que ser” (Paulo Cesar – Logos)

 

Inicio este sublime momento para nós formandos, citando um trecho de uma melodia do Pr. Paulo César do Grupo Logos, que através da mesma traz aos nossos ouvidos uma preocupante realidade. O desejo humano em ser divino e de um evangelho que lhe responda tão somente o que se deseja ouvir. Qual o evangelho que está sendo pregado nas igrejas? Que evangelho pregaremos colegas? O que a sociedade espera de nós? O que Deus deseja de nós? São questionamentos que não podem ficar sem respostas.

 

O desejo da humanidade na busca do transcendente não é de hoje. O homem está buscando algo que lhe dê satisfação completa e sentido para a vida. É no encontro do homem com Cristo que é possível se tornar o “novo ser” transcendendo assim as suas próprias limitações por tornar-se “filho de Deus”. Cristo veio tornar possível e real, o que antes era apenas potencial. Ele veio libertar o homem dos grilhões de sua limitação, do pecado.

 

Vivemos em um século de transições, mudanças e substituição de valores. A nossa responsabilidade como cristãos mais ainda de interpretes das escrituras são por isto mesmo acrescida. Os homens hão de exigir de nós que interpretemos os fatos históricos contemporâneos a luz da revelação divina. Isso exigirá estudos profundos e demorados de nossa parte, ao mesmo tempo, experiências profundas e marcantes com Deus.

 

Esta é a nossa missão para a época que vivemos: interpretar a verdade dinâmica de um Deus eterno, presente na história e interessado pelos problemas humanos. De um Deus que é a afirmação para todas as dúvidas e ansiedades, diante de uma época em que as verdades absolutas são questionadas, que o relativismo está em evidencia.

 

Um evangelho de barganha, (toma lá da cá) onde a criatura determina o que o Criador deve ou não fazer para atender nossos anseios e desejos, não deve nos nortear queridos colegas, muito menos influenciar. Cristo, que nos chamou, vocacionou e nos nomeou para este tempo é a nossa verdade absoluta, inquestionável, inegociável, incomparável.

 

O mundo aguarda a manifestação dos filhos de Deus. Cristo manifestou-se ao mundo na “plenitude dos tempos”, num tempo e lugar definido na história. Porém, esse episódio, essa plenitude dos tempos não ficou perdida num passado de vinte séculos. Ela está presente. O tempo em que estamos vivendo, os problemas que estamos enfrentando estão a indicar-nos que o século presente é a plenitude dos tempos para nós e este mesmo século aguarda a manifestação dos filhos de Deus.


Somos embaixadores do Rei Jesus Cristo, Que Cristo? Aquele que vem do alto está acima de todos. Cristo O Incomparável! Os personagens de destaque na história perdem sua importância na presença do Incomparável Cristo. Pois Ele é a Coroa do Universo.  O Cumprimento das profecias. O Salvador do mundo. Ele é o ápice da realização em qualquer empreendimento…

Para o artista Ele é o supra-sumo da Beleza;

Para o arquiteto, a Pedra Fundamental;

Para o astrônomo Ele é a Estrela da Manhã;

Para o padeiro, o Pão da Vida;

Para o biólogo Ele é a Vida;

Para o construtor, o Alicerce Seguro;

Para o carpinteiro Ele é a Porta; para o médico, o Médico dos Médicos;

Para o educador Ele é o grande Mestre, para o engenheiro, o Caminho Novo e Vivo;

Para o geólogo Ele é a Rocha Eterna, para o escritor, a Palavra Viva;

Para o fazendeiro Ele é o semeador, o Senhor da Colheita;

Para o floricultor, A Rosa de Sarom e o Lírio dos Vales;

Para o paisagista Ele é a Videira Verdadeira;

Para o juiz, o Justo Juiz de toda humanidade;

Para o jornalista Ele é Boas Novas de grande alegria;

Para o filósofo, a Sabedoria Divina.

Para o pregador pastores Ele é a Palavra de Deus;

Para o estadista, o Desejo de Todas as Nações;

Para o trabalhador Ele é o Provedor do descanso;

Para o pecador, O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Para o cristão Ele é O Filho do Deus Vivo, O Salvador, O Redentor e Senhor.

Para o discípulo Ele é o Comandante Geral que nos dá ordens com clareza incondicional e inconfundível. ELE É CRISTO, O INCOMPARÁVEL


Nós, turma Drª Valéria Fernandes da Silva, trazemos ao lado dos agradecimentos a todos os que de alguma forma cooperaram para a consumação desta vitória, também um desafio: desafio para uma luta pertinaz e incessante em busca de um evangelho que exalte a Deus, que seja claro como a água que bebemos que não se negocia a sua essência e poder, pois se camuflado estiver a sua excelência perderá: Tenhamos consciência senhoras e senhores aqui presentes, que este evangelho a qual me refiro não terá eficácia nos corações da humanidade apenas pela palavra, ou pela palavra escrita, mas pela palavra vivida, que é a Palavra da vida revelada.  Aqui ficamos nós. Que Deus nos ajude nessa caminhada.

Muito obrigado.

Cláudio de Souza Ferreira, apenas servo e nada mais.