A importância da justificação pela fé no aconselhamento

posted in: Justificação | 0

A justificação pela fé é uma doutrina fundamental para a vida cristã. Ela não só transforma nossa posição diante de Deus, mas limpa nossa consciência das obras mortas (Hb 9.14). Sendo assim, essa doutrina é igualmente fundamental para o aconselhamento. Heber Campos Jr. comenta isso em sua aula sobre “A Doutrina da Justificação na Reforma” no Curso Fiel de Liderança:

Horatius Bonar, no livro “A Justiça Eterna – Como o homem será justo diante de Deus?” (Editora Fiel, 2012 – pp. 95-96) – um excelente recurso sobre o assunto – comenta:

O reconhecimento da PERFEIÇÃO do Senhor Jesus Cristo, bem como de Sua excelência pessoal, de Sua adequação, de Seu valor vicário é a única coisa que satisfaz o coração e a consciência do pecador. Satisfaz o primeiro, presenteando-o com o mais amável de todos os objetos sobre o qual um coração pode descansar; e à última, suprindo-o com a única coisa que remove da consciência trêmula todos os motivos possíveis para acusações. Somente o verdadeiro conhecimento da pessoa Daquele que é “o Cristo de Deus”, a apreciação de Seu sacrifício consumado e a ligação vívida com o próprio Cristo podem alcançar a condição miserável na qual o homem afundou; não só levantando-o para fora do poço de perdição e do um tremedal de lama; não apenas firmando os seus pés sobre a rocha eterna; mas elevando-o a um reino de paz e santidade como nenhum outro meio menos valioso poderia realizar ao filho caído de Adão.

“Aquele que não conheceu o pecado foi feito pecado por nós”. É sobre esse fundamento que edificamos para a eternidade. A apropriação de todas as nossas responsabilidades judiciais por parte de um Substituto divino é o que nos traz libertação. Essas responsabilidades eram grandes, e nenhum esforço nosso para nos livrar delas poderia ser bem-sucedido. Todas elas deveriam ser cumpridas. Tamanhas acusações judiciais, como essas que foram apresentadas contra o pecador, não poderiam ser anuladas. Elas são acusações justas e devem ser resolvidas de modo justo. Deus nos oferece uma resolução, transferindo-as a Alguém que pode responder por elas. A base para essa determinação foi lançada na cruz, e sobre essa base, Deus está disposto a lidar com qualquer pecador para o cancelamento total de todas as suas dívidas.

[…]Nosso caráter não é transferido para Cristo, mas sim as nossas dívidas; e por nossa aceitação desse modo de transferência realizado por Deus, nós fazemos a troca completa, por meio da qual somos absolvidos de toda a culpa e entramos num estado de “não condenação”. O pecado é atribuído a Cristo, como o nosso substituto; e a justiça é atribuída a nós, como aceitantes desse substituto. Isso é libertação, paz e vida eterna.

Fonte: Voltemos ao Evangelho

Onde está tua fé?

posted in: Obedeça e Ganhe | 0

Antes do assunto ser abordado, gostaríamos de enfatiza duas lições que podem ser tiradas dessa passagem:

1) Os discípulos são repreendidos por estarem agitados, aterrorizados e alarmados enquanto o próprio Jesus estava no mesmo barco com eles. Em outras palavras, em qualquer circunstâncias, um cristão nunca deveria perder o controle, estar num estado de agitação, terror ou alarme. Está seria a primeira lição. (mais…)